Coach, você faz Mentoring?

Uma das primeiras lições de toda formação em coaching é transmitir os conceitos da metodologia aos ávidos e curiosos futuros coaches que ali estão. E durante essa explanação inicial, invariavelmente somos apresentados aos conceitos de outras metodologias – como psicologia, terapia, consultoria – e, claro, também nos é dito o que é mentoring e para que serve.

O objetivo é deixar claro o que é e o que não é coaching e qual será o seu papel durante o processo com seu cliente. Entender que é de extrema importância estabelecer desde o início com ele quais serão os papéis de cada um e quais são as técnicas utilizadas.

Eu tenho certeza de que você como um bom coach sabe bem tudo isso.

 

Mas… você já reparou o que acontece bastante no nosso mercado?

 

O que acontece na prática é:

 

Depois da formação, há uma grande dificuldade do coach em se posicionar no mercado. É difícil mostrar para alguém totalmente leigo que não é preciso ser expert em um assunto para ser coach de pessoas que dominam ou lidam com aquele assunto.

É muito difícil vender coaching como o que realmente é. A gente explica o que é, fala da metodologia, escreve, fala sobre as perguntas poderosas, explica de novo, desenha o raio do ponto A e do ponto B e a pessoa fica com aquela cara de

 

“aham… legal…”

 

O que acaba acontecendo é que escolhemos um determinado nicho de mercado por conta de alguns critérios. E basicamente essa escolha é baseada em afinidade e experiência anterior. Fica mais fácil para o seu círculo de amizade entender que agora você é Coach de Saúde se a sua formação e sua experiência anterior foram na área de nutrição.

E, por mais que você quisesse ter saído desse tema, acaba que as necessidades de atrair clientes e construir autoridade falam mais alto.

Aqui mora uma grande oportunidade, mas também um grande perigo. Depois de escolher o nicho dessa forma, o que acontece é que começamos nosso trabalho de posicionamento no mercado como especialistas no assunto.

E nesse momento deixamos de ser Coaches, concorda?

Porque se você faz um posicionamento baseado em transmitir conteúdo sobre determinado assunto, você parou de fazer coaching. Você passou a ser palestrante, treinador ou mentor.

E isso é ruim?

Absolutamente não. Embora você tenha que reconhecer que o que faz durante esse período de relacionamento inicial em palestras, vídeos, postagens e artigos não é coaching. E ter a certeza de que vai continuar se aperfeiçoando não só em coaching, mas no tema que decidiu transmitir também.

Ainda precisa ter cuidado para não misturar as coisas quando o processo começa.

 

Tudo revelado no primeiro encontro

 

Já aconteceu comigo do cliente desconfiar do coaching na primeira sessão. Por melhor que seja o Coaching Education, quando as perguntas começam a ser disparadas é que ele realmente vai entender como funciona. Quase dá pra ver os pontos de interrogação no ar.

Por isso que, se você não é coach e quer entender como funciona, o melhor a se fazer é agendar um encontro com um.

Eu realmente acredito que as pessoas procuram na verdade um mentor quando contratam um coach. As pessoas tendem a procurar por respostas prontas. Porque é mais fácil, entende? Um processo de coaching é trabalhoso para o cliente porque é ele quem vai estabelecer seu foco e planejamento para formatar as ações que o levem até seus objetivos.

 

Isso quer dizer que coaching é melhor que mentoring?

mentoring-significado

Não! Definitivamente não é esse o ponto. O que deve ser levado em consideração é o momento, as necessidades, os objetivos em questão.

Se você é um jovem profissional que acabou de ser promovido para substituir um sênior que está prestes a se aposentar, talvez o melhor método seja o de mentoring a princípio. Pois você vai precisar ter respostas prontas para processos que estão em andamento e não poderão esperar.

O seu mentor já tem o que precisa para determinada situação e deve transmitir essa bagagem para o mentorado da melhor maneira possível.

 

Posso fazer os dois?

 

Ao mesmo tempo? No mesmo processo? Não aconselho. Porque por mais que o seu cliente às vezes te peça respostas, ele deve ser estimulado a responde-las. Senão o objetivo do coaching foi por água abaixo.

São metodologias com objetivos diferentes.

O mentor tem como objetivo transmitir conhecimento e experiência por meio de um relacionamento que pode até mesmo ser informal. Geralmente acontece para cobrir as necessidades imediatas do mentorado.

O coaching por sua vez é um processo de estímulo ao coachee (cliente) para que ele encontre os recursos e desenvolva os comportamentos e competências necessárias para atingir objetivos.

 

Ok, isso você já sabia 😉

 

Mesmo assim, eu concordo com você se me disser que é difícil separar. Tem horas que a resposta está ali, na ponta da língua e você precisa segurar um pouco mais. O cliente precisa desenvolver habilidades e você sente que poderia ajudar dizendo logo o que ele deveria fazer.

A experiência vai mostrando que o melhor é seguir a metodologia e reforçar mais algumas perguntas poderosas para que ele busque as respostas.

E você? Já caiu na tentação de, mesmo sem saber o que é mentoring, dar aquele empurrãozinho no cliente? Responda nos comentários!

 

Abraço!

Deixe uma resposta